5 de abril de 2018

Projeto Toninhas participa da 3ª edição Chefs na Praia


Os dias têm sido movimentados no Projeto Toninhas. Nos dias 30 e 31 de março, por exemplo, participamos da 3ª edição do Chefs na Praia, em São Francisco do Sul, SC. O evento aconteceu na Prainha / Praia da Saudade reunindo exposições fotográficas, pinturas, apresentações musicais e gastronomia.

 Projeto Toninhas e Projeto de Monitoramento de Praias esclareceram dúvidas dos visitantes. (Projeto Toninhas / Univille)
 Em parceria com o Projeto de Monitoramento de Praias e o Colégio Univille, o Projeto Toninhas realizou ações de educação ambiental sensibilizando quem visitava o espaço pra questões relacionadas à conservação do meio ambiente, em especial aos perigos do descarte incorreto do lixo. Para auxiliar nesse entendimento, potes contendo material plástico encontrado no trato digestivo de tartarugas e outros animas exemplificaram o problema do lixo nessas espécies.
 
Crânios foram utilizados para demonstrar a anatomia de alguns animais marinhos. (Projeto Toninhas / Univille)
Quem visitou o estande pôde ver ainda exemplares de animais taxidermizados (empalhados), crânios e ossos de alguns animais marinhos, além de conhecer as atividades desenvolvidas nos projetos da Univille. 

As crianças puderam conferir as principais diferenças entre a toninha e outros golfinhos. (Projeto Toninhas / Univille)
 O Projeto Toninhas é realizado pela Univille e conta com #patrocínioPetrobras por meio do Programa @Petrobras Socioambiental.

2 de abril de 2018

Maior painel brasileiro da vida marinha é pintado no Projeto Toninhas/Univille


Alexandre Huber supera sua marca e cria mural com cerca de 270m² retratando a fauna marinha do litoral catarinense em São Francisco do Sul

O artista plástico de reconhecimento internacional, Alexandre Huber, está finalizando a pintura de um mural de aproximadamente 270 m² na Univille, em São Francisco do Sul. O painel retrata em tamanho real animais da fauna marinha catarinense. 

Lobo-marinho, baleia franca, peixe-lua foram alguns dos animais retratados por Huber. (Foto: Projeto Toninhas/Univille)

A pintura acontece no prédio da Unidade de Estabilização de Animais Marinhos, onde opera uma das bases do Projeto de Monitoramento de Praias da Bacia de Santos (PMP/BS). Lobos-marinhos, a tartaruga-verde e tartaruga-cabeçuda, o boto-cinza e aves, como o pinguim, a gaivota e o albatroz, compõe o painel, que também traz referências do ambiente costeiro, como o manguezal e o costão rochoso. A toninha, estrela principal do Projeto, ganha um espaço especial, figurando na entrada do Espaço Ambiental Babitonga (ESAB), local onde são realizadas diversas atividades de educação ambiental e que fica junto ao prédio da Unidade de Estabilização. O ESAB já recebeu mais de 42 mil visitantes, que puderam conhecer o museu, a trilha ecológica e as ações do Projeto Toninhas, que conta com patrocínio Petrobras por meio do Programa Petrobras Socioambiental.
Membro da Ocean Artist Society (USA) desde 2015, o artista plástico já criou mais de 50 painéis em todo país, sendo que seu recorde havia sido registrado no Balneário Piçarras, também no estado catarinense, com uma pintura de 210 m². 

Os cetáceos, como boto-cinza, boto da tainha e as toninhas tiveram destaque. (Foto: Projeto Toninhas/Univille)

Huber comenta que o trabalho tem sido intenso, mas recompensador. “Atingir um marco como esse me deixa muito feliz, mais ainda por estar ao lado de profissionais responsáveis e engajados como os do Projeto Toninhas. Estou honrado em fazer parte da luta pela conservação do mamífero marinho mais ameaçado da costa brasileira. É nossa missão proteger as toninhas para evitar o risco da sua extinção,” declara o artista, que completa dizendo que sempre buscou que sua arte tivesse uma função socioambiental.
Alexandre Huber vem ao Projeto Toninhas em caráter voluntário. A tinta e os materiais de pintura serão disponibilizados pelos apoiadores do artista, Tintas Eucatex, Telas e Acessórios Souza, Tigre e Wimpel. Além das atividades artísticas e educativas, que se encerram no dia 26 de março, Huber participará de um passeio pela Baía Babitonga para conhecer de perto a única população tipicamente estuarina de toninhas no Brasil.

Para mais informações, acesse: www.projetotoninhas.org.br

Acompanhe também o Projeto Toninhas nas mídias sociais: Facebook; Instagram; Twitter e YouTube

14 de março de 2018

Projeto Toninhas amplia atuação para Área de Proteção Ambiental da Baleia Franca


Com mais de uma década de pesquisa e conservação da toninha na Baía Babitonga, em sua terceira fase, o Projeto passa a trabalhar também no litoral sul de Santa Catarina

O Projeto Toninhas, com 15 anos de pesquisas relacionadas a cetáceos no litoral norte de Santa Catarina, ampliou sua área de atuação para o sul do estado. Na sua terceira fase, o programa passa a concentrar esforços também na região de abrangência da Área de Proteção Ambiental da Baleia Franca (APA-BF), uma unidade de conservação federal, que irá agregar mais nove municípios ao território de cobertura do projeto.
Em suas fases anteriores, o programa estava direcionado à Baía Babitonga, no litoral norte de Santa Catarina, onde vivem cerca de 50 toninhas, única população conhecida da espécie que vive em ambiente estuarino no Brasil. Desde então pesquisadores com larga experiência tem atuado massivamente na pesquisa e conservação desse golfinho, que é o mais ameaçado de extinção no Atlântico Sul Ocidental. Desde setembro de 2017, por meio do patrocínio da Petrobras, foi possível estender a área de estudos para a região da APA-BF.
A coordenadora do Projeto, Dra. Marta Cremer comemora a atuação junto a uma Unidade de Conservação. “As unidades de conservação são uma importante ferramenta para a conservação das espécies ameaçadas. No caso das UCs de uso sustentável, como a APA, o manejo das atividades no território é feito de forma participativa com a comunidade, aliando a conservação da biodiversidade com a sustentabilidade econômica da região. Um excelente exemplo para a Baía Babitonga”, explica a pesquisadora.
Com a adesão da APA, uma área com cerca de 130 km litorâneos será agregada ao projeto. Entre as atividades previstas para essa nova fase estão a realização de sobrevoos e a utilização de um sistema de monitoramento acústico passivo, tecnologia de ponta, que pela primeira vez está sendo utilizada com toninhas, em parceria com a Agência Sueca de Gestão Marítima e de Águas (Swedish Agency for Marine and Water Management - SwAM), o Jardim Zoológico Sueco Kolmarden Djurpark, e a empresa britânica Chelonia Limited.
O Projeto Toninhas é realizado pela Univille e conta com o #patrocínioPetrobras por meio do Programa Petrobras Socioambiental. 

Conservação

A toninha (Pontoporia blainvillei) é uma espécie endêmica da costa leste da América do Sul, com distribuição entre o norte do Espírito Santo, no Brasil, e o norte da Patagônia, Argentina. A mortalidade decorrente da captura acidental em redes de emalhe, ao longo de toda sua distribuição, é apontada como o maior problema de conservação da espécie. Por este motivo, a toninha é considerada ameaçada de extinção no Brasil desde 2003, sendo que o nível de ameaça da espécie passou de “vulnerável” para “criticamente ameaçada” nos últimos dez anos.
Por ser um animal pequeno e de comportamento discreto, há pouco conhecimento por parte das populações litorâneas sobre a toninha, sendo a popularização da espécie um dos grandes desafios em prol de sua conservação. 

Saiba mais sobre o Projeto Toninhas na homepage ww.projetotoninhas.org.br ou nos nossos canais de interatividade: Facebook; Instagram e Twitter

23 de fevereiro de 2018

Projeto Toninhas é apresentado em encontro da ADR


O coordenador de pesquisa do Projeto Toninhas, Renan Paitach, apresentou, na manhã dessa sexta-feira (23), o Projeto e suas ações de educação ambiental no encontro “Agenda Ambiental na Escola”, organizado pela Agência de Desenvolvimento Regional (ADR). 

O encontro reuniu educadores e gestores para discutir como a educação ambiental pode auxiliar na construção social.        

O evento direcionado a professores, diretores e gestores da rede de ensino municipal e estadual discutiu os benefícios da educação ambiental na esfera escolar como um caminho para o fortalecimento social.

Durante a exposição, o gestor do Projeto Toninhas discorreu sobre as atividades desenvolvidas no Espaço Ambiental Babitonga e na comunidade, que, já atingiram mais de 42.000 pessoas nas três fases do Projeto.

Paitach apresentou as ferramentas que o Projeto Toninhas utiliza na educação ambiental, como livros, jogos e vídeos.
 Paitach dividiu o espaço com outros gestores da educação ambiental, entre eles o Coordenador Geral do Programa A3P (Agenda Ambiental da Administração Pública), do Ministério do Meio Ambiente, Dioclécio da Luz. Ao final do evento foi assinado pela ADR um termo de adesão ao Programa A3P.

Ao final da apresentação, os participantes foram convidados a conhecer mais sobre o Projeto Toninhas e suas ações.

O Projeto Toninhas é realizado pela Univille Universidade e conta com #patrocínioPetrobras por meio do Programa Petrobras Socioambiental.

22 de fevereiro de 2018

Projeto Toninhas participa de encontro com pescadores na Área de Proteção Ambiental da Baleia Franca



Em uma atmosfera de diálogo e entendimento ocorreu, nessa terça-feira (20), uma reunião de lideranças da pesca artesanal da Área de Proteção Ambiental da Baleia Franca (APA-BF). O Projeto Toninhas participou desse encontro falando sobre a ampliação das ações de conservação da toninha no litoral sul de Santa Catarina. 

O Projeto Toninhas participou do encontro entre gestores da APA-BF e lideranças pesqueiras sobre o plano de manejo.

Entre os assuntos em pauta estavam propostas e recomendações relativas a pesca artesanal para o plano de manejo da APA-BF.  Esse foi o último encontro de uma série de 13 reuniões com pescadores artesanais para pensar de forma conjunta a problemática da pesca dentro dos limites da unidade de conservação. O plano de manejo é o primeiro passo na gestão de uma unidade de conservação, sendo construído em um processo participativo com os usuários.

O chefe da APA-BF, Cecil Roberto Brotherhood de Barros menciona a importância do encontro como um ponto chave na estruturação do plano de manejo. “Além do contato entre diversos pescadores, associações, colônias, entidades e lideranças na discussão de assuntos comuns a eles no território da APA, construímos uma série de propostas a serem levadas para a discussão do conselho da APA, na próxima oficina do Plano, entre 16 e 19 de abril” esclarece o gestor.

Barros completa dizendo que o desafio do plano de manejo é justamente esse: “construir propostas de consenso entre os diversos setores envolvidos, desenvolvendo acordos sociais que permitam a existência de um plano de manejo sólido”.

Nos próximos meses, outros setores ainda serão consultados. O Projeto Toninhas vai acompanhar o processo de estruturação do Plano de Manejo da APA-BF, realizando pesquisas sobre a toninha em mar aberto e contribuindo na formulação de diretrizes pró-conservação da espécie.

O Projeto Toninhas é realizado pela Univille Universidade e conta com #patrocínioPetrobras por meio do Programa Petrobras Socioambiental.

O gestor da APA-BF, Cecil Barros apresenta a pescadores a linha do tempo da elaboração do Plano de Manejo.

 

APA-BF


A Área de Preservação da Baleia Franca é uma unidade de conservação federal no estado de Santa Catarina. Sua proteção abrange uma área de 156 mil hectares, 130 km de costa marítima, cobrindo nove municípios, desde o sul da ilha de Florianópolis até o Balneário Rincão. A criação aconteceu em 14 de setembro de 2000.